terça-feira, 30 de dezembro de 2008

inefável

Sinto-me distante...
Calmos caminhos plácidos adiante.
Nova era mera em mim
Pouco sinto... Sei, porém minto.
A mim e a ti.

Amo, mas não digo.
Pra quem pouco vê...
Olha meus gestos,
Com eles te digo...

Porém queres mais de mim,
Algo que me destrói,
Dizer que amo a ti.

by: Ana Patrícia Oliveira Peixoto

10 comentários:

Antonoly disse...

Belo poema, gostei!
Beijos!

Leandro Rocha disse...

Você escreve belas poesias!
Nelas podemos ver a coragem de se desnudar para o mundo e o lirismo de fazê-lo com toda a simplicidade e verdade.

Parabéns!

historiaspraboidormir disse...

gostei dos poemas!
apesar de não ser um grande apreciador...

Miriã Soares disse...

...escreves com muito sentimento...muita dor

Paulo Victor disse...

adorei o poema
bjaum!



www.blig.ig.com.br/correiopop

Fernanda Santiago Valente disse...

Lindas as suas poesias. Amei "Mulher Guerreira".

um beijo

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

Oi.. achei teu blog e li teus escritos... gostei bastante...
Esse poema tem uma profundidade enorme! A indiferença que na verdade é o ocultamento do que sentes e ao mesmo tempo esse alguem te exigindo algo talvez sem saber o que se passa dentro de ti.. mas doi afirmar q o ama... nossa.. adorei...

Ps: ta uma passada no meu blog...

vamos mantar contato?

Lu[náti]Ca disse...

olá!adorei seu blog!suas poesias,são tocantes...nossa...
um beijo..e passa lá no meu se der!sucesso ai :)

Flor disse...

Muito lindo!
Gostei da forma como escreve.
Consegue transpor o sentimento!

Quem sou eu

Minha foto
Não há respostas exatas para definir seres relativos \o/