quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Caneta Viva

Estou escrevendo...
Num mundo sem borracha
Onde as folhas são indestrutíveis


Conduzida a quebrar a caneta vez por vez...
Ou enfrentar a penalidade de escrever até cercar...
Ou quem sabe até falhar?


É assim que me encaixo nesse mundo
Talvez a covardia se apodere de mim...
Se eu olhar para tinta que me resta,
E tiver pena de minhas mãos


Mas eu gosto de escrever!
Será que a tinta vai acabar?
E se essa caneta velha começar a falhar?
Não vou gastar minha tinta à toa!


Só tenho uma caneta
Quero escrever coisas boas...
Coisas que me façam sonhar.


By: Ana Patrícia

2 comentários:

Rafael Iglesias disse...

Muito bom o seu blog. Coloquei a Qualidade e o Defeito dele lá no orkut...

leorio disse...

interesante tua nossão, ao escrever, como este texto mesmo, curt logo de cara a parte introdutoria, vivo em um mundo sem borracha, elegante entrada, belicimo feito... Só tenho uma caneta, uma unica como numeral, acho que se fosse eu escrever tal coisa seria tipo só tenho uma vida.

Quem sou eu

Minha foto
Não há respostas exatas para definir seres relativos \o/