sexta-feira, 6 de março de 2009

Récem sentimentos...


Há quem se achegue e tente ver,
Tente perceber...
Mas não transmito o que poderia,
E não me permito tamanha ousadia.

Chego a ser sem derramar minha essência...
E gritei a todos!E nem todos me ouviram.
Calei, mas colocaram palavras em minha boca.

De noite e de dia, a vida se tornou louca...
A mais sensata loucura que me persegue!
O crepúsculo e a aurora, o nascimento e a morte...

Ah! Quem me dera ser normal...
Quem me dera sobressair-me ao vulgo!
E sair de dentro de mim...
E viver livre da alma maligna,
Que mata maltrata e crucifica.

Já desejei não desejar,
Mas o desejo me consome.
Arranha minha vontade e corta meu juízo...
Por certo, meio incerto e completamente preciso,
Não sei nada e nada sou... Se não mais um vivo!


By.: Ana Patrícia Oliveira Peixoto

13 comentários:

TAIS MOREIRA disse...

Uau!! Que poema lindo! E profundo, tb, né?
Adorei seu blog, parabéns!

Comente no meu, tb, ok?

http://taiscristinasworld.blogspot.com

Beijos

Suellen Nara disse...

Poemas assim sempre rasgam a alma e eu nunca sei o que dizer.
Na verdade, acho que eles são feitos para sentir e não para entender ou explicar.

Muito bonito.

Valeu.

Luiz Guilherme disse...

o Lindo e o perfeito se misturaram e uma onda tão intensa e forte que senti meu coração mais leve ao ler sua poesia..

d+++

http://lg7fortalezace.blogspot.com/

Vlw

Wagner disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wagner disse...

Muito tocante a poesia...a grande briga entre o nosso "EU"...usando de palavras fortes...com figuras explicitas e devaneias...muito bom o seu texto.

"sou tudo aquilo que um dia desejei...me tornei nada e vazio...as lagrimas que antes eram como petalas de uma rosa branca...hj são rochas como o que ha dentro de meu peito...msmo querendo me privar de mim msmo...acabo sendo tudo oque desejei...sabendo que o unico desejo sobre tudo isso...era o simples desejo de naõ desejar um fim"

Alex Canuto de Melo disse...

olá ana!

obrigado por visitar o "Tablóide Literário". continue visitando, e tentemos manter um contato. tá ok? abraços!

Marcio Santos disse...

mto legal e sensivel!!


atualize sempre t+

Se puder passa no meu blog:

http://paginadacomedia.blogspot.com/

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

de mais..

"E sair de dentro de mim...
E viver livre da alma maligna,
Que mata maltrata e crucifica."

eu tenho esse mesmo sentimento..
sair dentro de mim mesmo..
é muito ousadia mesmo a gente ser nós mesmos tatalmente transparentes.. no sentido que existe muitos tabus, preconceito e talz.. e a gente "cresce" aff ¬¬

queria que a humanidade não cresce, talves assim poderiamos ser mais nós mesmos...

sair de dentro de mim, é a expressão de não querer mais fazer parte da insenação sempre presente que estamos "obrigados" a participar..
mas.. coisa boa.. que pensar nos faz pelo menos... mais nós.. e menos eles..


perfeito

grupo gauche disse...

parabens patricia, seu poema está lindo! um abraço do pessoal aqui do Gauche

luiz disse...

eu gostei,
roantico
^^
se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/

Caroline Mendes disse...

Sem dúvida a última estrofe fecha o poema com uma chave de ouro! Perfeito!!!

"Já desejei não desejar"... *-*

luiz disse...

Meeeeew .. Muito Excelente o que você escreve, parabéns.
=D . Beijo

leorio disse...

Legal, sentimental e constante.Vc ja pensou em escrever contos.

Quem sou eu

Minha foto
Não há respostas exatas para definir seres relativos \o/