quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Siga a visão

Venha a mim deleite perplexo de ser eu!
Como pagas para enlouquecer um coitado?
Que nos teus olhos supõe cálculos,
De imprecisa presunção cientifica...

Mate a morte certa da vida!
Sem princípios reforçados a colunas de mentiras.
Se for bom ou mal, atentes a teu concebido...
Em prazer viver, sem saber querer entender.

Sei que não sei se sirvo, ao deslizar em folhas
Palavras vindas do umbigo
Mas há quem entenda, ou pense...
Por isso é que eu grito:
Mergulhe aqui comigo.


by: Ana Patrícia Oliveira Peixoto

5 comentários:

A Dona disso aqui disse...

Gostei do seu poema... Parabéns pela inspiração!

Beijão
Quando puder, me visita =D

http://curiosidadesdoplaneta.blogspot.com/

Millena Moderadora disse...

Gostei do seu blog.
Criativo e inteligente.
Você escreve bem.
Se puder visite o meu.
TE CUIDA!!!
BOM FIM DE SEMANA PRA TI!!!

Helder Herik disse...

Poemas bem existencialistas

parabéns

luiz disse...

belo poema d+++++++
gostei muito
se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/
comente as postagen mais antigas tabem,
e entre na comunidade dele
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=23965519
atualização diaria.

u-Carbureto disse...

Sou de Garnahuns sim \o
Ei cadê seus novos poemas?
Quero os ver por aqui

bjos

Quem sou eu

Minha foto
Não há respostas exatas para definir seres relativos \o/