domingo, 7 de fevereiro de 2010

Amanhã


Poetas mortos:
Classificação atual em que me encontro.
A vocês, desejosos pelo construtivo:
PERDÃO! Isto é desedificante.

Não desejo jogar isto a vocês,
Tão pouco de mim isto querem...
Que farei? Mentirei! Iludirei!
Sobre ufanismo pousarei meus versos?
E das tão belas utopias, carregarei minhas seringas?

Bocejos... Não enforquem o ladrão de sonhos!
É preguiçoso, não quer correr atrás do que não se alcança...
Daquilo que não se esgota,
Do fim que quando próximo escapa!

Ai que agonia! Que agonia!
Que quero eu? Ser fadada ao céu perfeito?
Sem batalhas, sem vitórias, sem conquistas?
Fazer do prazer inativo?
Sem sua ausência seria ele despercebido!

Poetisa inútil eu sou...
Por um momento não tenho palavras,
Tenho imitações baratas de palavras,
Visto que a função das palavras é expressar
E as minhas já não o fazem

Despejei confete...
Resta-me varrer o chão.
Mas fica para amanhã
Sou preguiçosa.
Fica para amanhã...
Amanhã... Quando direi:
Na próxima manhã eu farei...



Ana Patrícia Oliveira Peixoto

5 comentários:

Francorebel disse...

Gostei do "desedificante"... neologismos, hein?... muito bom... valeeeeeeeu!!

Vinicius Oliveira disse...

nossa, pela poesia. voce deveria investir mais ainda na sua forma de escrever, pois voce escreve muito bem.

http://viniciusoliveiraa.blogspot.com/
post novo comenta?

Dual disse...

como o amigo ai disse vc escreve mto bem..mtoo bom o poema..gostei bastante..
espero voltar mais vezes aki!


www.cenaunder.com

...

Chat Casa dos Blogueiros, add lá e conheça blogueiros e troque idéias :)
group75946@groupsim.com

Taã disse...

se a algo para se falar oce fala aqui.

Rafael Bardo disse...

eh muito bom quando nos deparamos com pessoas que sabem usar as palavras... vc é perfeita!

Quem sou eu

Minha foto
Não há respostas exatas para definir seres relativos \o/